30 de mar de 2011

Já chegou o Sandman edição definitiva vol. 2


Não sei por que mas Sandman vende pra cacete, sempre me perguntei o motivo. Que a série é boa seria redundante falar, mas me surpreende que os anos passam, as editoras relançam e sempre ta vendendo mais e mais e eles fazem uma grana preta. Hoje se você procurar os primeiros números da coleção em capa dura da Conrad vai tomar um susto, Prelúdios e Noturnos chega a 320 pratas no Mercado Livre, e na época que saiu eu comprei o meu por apenas 60 pilas.


Eu poderia dizer que Sandman é uma modinha pós adolescente, cult, na minha mania de detonar tudo, mas a questão não é bem essa, acho que é mais do que isso. Sandman é uma prova que as pessoas querem ler coisa boa! Watchmen também vende, o Cavaleiro das Trevas também vende, as pessoas buscam qualidade. Nem todo best-seller é jogada de marketing.

Vejo muitas pessoas que nem são fãs de quadrinhos falando na série, desde metaleiros, EMOS, até universitários moderninhos, parece que Sandman tem um glamour que atrai os jovens, os descolados. A maior parte deles nem leria os outros títulos da Vertigo, coisas como Y ou Escalpo, nem mesmo Hellblazer não chegam a ser tão populares quanto Sandman.

Não explicaria isso pelo desenho, realmente nesse sentido Sandman é irregular, principalmente no início. Parece mais que a qualidade do texto e a própria natureza arquetípica dos personagens encantam o público. Se o filho da mãe do Neil Gaiman fez um pacto a la Shakspeare eu não sei, mas bem parece, por que nem ele mesmo consegue superar sua criação.

Outro dia estava pensando em uma coisa que poderia ser interessante: levar Sandman para as escolas, já ouvi falar de professores que usam alguns números da série em aulas de história, acho que seria uma boa pra incentivar as novas gerações a cultivar a leitura de quadrinhos de qualidade. Acredito que isso não seria feito em escolas públicas, onde há o patrulhamento ideológico petista que já censurou até Monteiro Lobato, mas com certeza em escolas privadas isso poderia funcionar.

O mais incrível é que Sandman teve boas edições no Brasil, isso também atraiu público. A melhor é lógico que foi a da Conrad. O primeiro volume da edição definitiva da Panini estava muito bom, mas pra mim não correspondeu totalmente ao esperado, faltaram os extras que explicam as referências das histórias. A única novidade foram algumas ilustrações do conceito do personagem e o texto que Gaiman usou para apresentar o projeto da série a DC. Não custava os caras consultarem pelo menos as Sandman Annotations pra fazer um trabalho mais caprichado, como o pessoal da Conrad fez? Ou será que eles são obrigados a seguir o modelo da edição absolute americana?


A Panini disponibilizou um preview do segundo volume da edição definita, que traz uma nova colorização e tradução, com os números 21 ao 39 da série, além de mais de cem páginas de extras incluindo um roteiro completo, tudo isso em 620 páginas, capa dura e papel couchê. O preço sugerido é de R$145, mas você encontra mais barato por ai.


Veja mais no site da Panini Vertigo.



...

1 Comentário:

omeninoquenaomachuca disse...

Que estranho, sou filiado ao PT, fanzaço de Sandman e não vejo motivos para não se levar Sandman para escolas (ótima dica, porém, triste analogia com uma idiotice feita contra os livros do Monteiro Lobato e que NÃO SAIU DO PT, e, sim, de algum grupo de pessoas isolado). Voltando ao tema, bem, só resta esperar baixar um pouco mesmo esse preço.

Postar um comentário

Deixe a sua opinião, sem ofensas, por favor.

  ©Caixa de Gibis - Todos os direitos reservados.

Sobe