4 de ago de 2011

O politicamente correto nas HQs, ou porque eu quero que o Saci seja branco!

X-Men - Deus Ama, O Homem Mata

Eu não sou branco, não tenho olhos azuis, então não venha com esse papo de que sou racista e blá blá blá. Também não sou homofóbico, mas sou heterosexual sim e com orgulho. Não vivo por ai com esse papo de viva a "diversidade" e "vamos combater a homofobia". Detesto esse papo.

E sabe por que? Por que não tenho preconceitos, não diferencio as pessoas pela sua raça ou prática sexual. Nunca tive isso e nunca vou ter. Já convivi com todo tipo de pessoa, e a maioria é até mesmo de minorias. Mas eu não me importo com isso.

O que me deixa puto é esse papo atual de "diversidade" como uma coisa a ser fabricada, praticamente imposta por mídias e pelo Estado. Pra mim a diversidade é natural, por que cada ser humano é único. Não existe um preto igual a outro preto e nenhum branco igual a outro branco no mundo. E nenhum gay é igual a outro. E eu aprendi isso na escola? Universidade? Vendo kit gays preparados por ongs estrangeiras? Aprendi isso na cartilha do PT? Não!

Aprendi isso com um pouco de cultura humanista, de escritores como Herman Hesse e Goethe, de poetas como Fernando Pessoa.

Pra mim pessoas não fazem parte de grupos sociais, elas são indivíduos, e é como indivíduos que devem se identificar, não como classes. A identificação como classes serve a propósitos de grupos políticos, a interesses econômicos, religiosos, mas não serve ao indivíduo, pelo contrário, o transforma em gado, massa.

Detesto esse papo de minorias! Se eu fosse contar de quantas minorias eu faria parte se levasse em consideração essa paranoia esquerdista... eu perderia a conta. Mas eu detesto coitadismo e me vejo como um indivíduo e não como um integrante de uma classe, seja qual for.

Então pra mim, um individualista, fã de quadrinhos e de alguns personagens em particular, ver esse papo furado de "diversidade" ser discutido nas HQs é algo que dói. Pra mim personagens são indivíduos, mesmo que cada criador dê a eles uma personalidade diferente ou modifique sua biografia. Eles não são criados para representar classes sociais, se fossem, não teriam interesse, por que seriam apenas veículos de ideologia. Eles podem representar um conceito, um arquetipo, como o indivíduo descobre que representa, quando investiga mais profundamente sua psicologia. Mas eles não representam algo tão superficial quanto classes.


Com a repercussão que teve a criação do Homem-Aranha negro-latino, decidi anotar aqui algumas coisas sobre isso. Na sanha do politicamente correto, o que vão fazer com as HQs? Personagens brancos terão de mudar de raça, heteros mudarão de prática sexual. Religiões serão mudadas? Classes sociais? Tudo isso para "incluir" minorias, para que haja mais "diversidade"?

Quem ganha com isso? Será que as editoras conseguirão vender mais gibis? Será que as histórias ganharão em qualidade? Será que as pessoas que fazem parte dessas minorias se sentirão mais "representadas" com essas concessões? Leu bem? CONCESSÕES!

Sabe o que eu acho? Que tudo isso é ridículo. O maior fã de Homem-Aranha que eu conheço é negro, e pra ele, o que importa são boas histórias. Duvido que ele se sinta mais feliz com um Homem-Aranha negro, ele compra ha dez anos os gibis de um herói branco e não deve ter se sentido mal com isso, até dois meses atrás, quando parou de comprar por que não aguenta mais histórias ruins.

O politicamente correto não representa os individuos, mas conceitos de classe criados por grupos políticos que querem homogeneizar a sociedade, eliminar as diferenças naturais. Isto serve unicamente aos interesses deles. Eu não caio nessa. E agora tem esse papo de "diversidade" nas HQs, porra, parem com essa chatice. As pessoas querem ler uma HQ e se divertir, só isso. O politicamente correto das classes e minorias não serve pros personagens de HQs.

Não bastam as universidades, sindicatos, as escolas e empresas contaminadas com esse papo, agora vem pras HQs?? Esquerdistas, tomem na bunda. Daqui a pouco vão criar cotas raciais para os super-heróis, bolsa para os heróis pobres e supervilões homofóbicos, vão se catar, seus palhaços!

Se for assim, quero que o saci seja branco de olhos azuis e tenha duas pernas. Afinal é racismo ele ser negro e aleijado ao mesmo tempo. Puta merda, deixem os quadrinhos em paz, longe dessa paranoia social!

Que o Homem-Aranha seja branco ou negro não importa, o que importa é que os escritores ofereçam boas histórias, seja o personagem de qualquer jeito. Será pedir demais??? É por essas práticas canhestras e desesperadas da indústria que um certo barbudo anda falando no fim.

Querem discutir uma questão social? Ótimo, Alan Moore fez isso em Monstro do Pântano, Garth Ennis fez isso em Hellblazer, Chris Claremont fez isso em X-Men (entendeu a imagem?), Warren Ellis fez muita coisa em Transmetropolitan. Querem discutir sobre gays? Vejam o que Alison Bechdel fez em Fun Home! O gay é um indivíduo e não um pedaço de classe social.

Criem boas tramas com esses conceitos, não precisa fazer concessões ridículas e inventar do nada personagens esdrúxulos condenados a uma sobrevida de 12 edições. Usem a inteligência! Senão, meus amigos, como diz Alan Moore, será mesmo o fim!


...

8 Comentários:

maurozamaro.com disse...

Acho que você vai curtir esse artigo também
http://maurozamaro.com/2011/07/03/a-merda-do-politicamente-correto/

Lord Anderson disse...

Entendo seu ponto de vista, mas precisa estar ciente de algumas coisas.

Vc nunca vai correr risco de vida apenas por ser hetero, não ser agredido por estar abraçado a alguem que vc ama, não vai ver padres,pastores, pregando que vc é uma ameaça contra a familia.

nunca vai ter seu direito de casar e adotar uma criança negado unica e exclusivamente pela sua sexualidade.

Homosexuais enfrentam isso todos os dias, assim como negros encaram barreiras que nos passam despercebidas.

Vc pode não ser racista ou homofobico, mas a sociedade ainda é.

Acho um pouco de presunção querermos decidir como as minorias devem militar sem passar pelo que elas sofrem na pele.

Fala de coitadismo e etc, mas oq vejo é justamente melitancia e não conformismo.

É sempre bom lembrar que dois seculos atraz, negros podiam ser escravizados pq não eram visto como humanos.

A poucas decadas atraz, mulheres não podiam cursar faculdades, votar, concorrer a cargos politicos ou mesmo trabalhar sem permissão de pais e maridos.

A poucos anos, homosexualidade era considerada doença...

Isso tudo mudou, mas não pq a sociedade ficou "boazinha" e fez concesões.

mas pq essas minorias foram a luta, não se curvaram as criticas de que eram "vagabundos, querendo fazer bagunça".


eles lutaram por seus direitos e continuam lutando,

por mais que isso incomode tantas pessoas.

Thati Rodrigues disse...

Muito bom seu artigo. Esta patrulha ideológica que acontece no Brasil é um absurdo

Dom Carlos Coronário disse...

Só respondendo seu questionasmento de quem ganha com um homem aranha negro... talvez aquele moleque que nas brincadeiras pode ter ouvido um comentário do tipo, "vc não é homem aranha, vc é preto!" foda-se, agora ele é o miles morales!!! claro que o rascistinha ia se defender, "não sou rascista, onde já se viu homem aranha preto!?!"
temos que ter cuidado, é muito legal vc não ser rascista nem homofobico, mas essa insensibilidade é perigosa, pois rascismo e homofobia existem e fodem com a vida de muita gente...!
a patrulha ideologica se faz necessaria sim, no sentido de que esses assuntos e esse debate são tabus...!

Tavares disse...

Quero deixar claro que publico todos os comentários, com exceção de ofensas pessoais. Mas isso não quer dizer que concordo com as ideias expressas neles.

O último comentário por exemplo, é lástimável.

Dom Carlos Coronário disse...

então tá... estamos empatados, também achei seu site lastimável... adeus!

Demian disse...

De acordo com o comentário do Dom Carlos, então também teriam que colocar um cara homossexual como tempestade, pois assim os meninos homossexuais poderão dizer que são a tempestade...na verdade deveriam ter universos Marvel com todos os heróis brancos, todos pardos, todos orientais, todos negros, todos mulheres, todos homens, todos heteros e todos homossexuais, assim todo mundo poderia ser o heróis que quisesse...

Acho que nem preciso ressaltar o tom irônico deste comentário. Porra, estamos falando de quadrinhos. Sensibilidade de cu é rola! O mundo não é colorido, nem preto e nem branco, o mundo é cinza e todos somos filhos da puta, seja vc hetero, preto, branco ou homossexual. Porra, já tô cansado desse papinho aí de politicamente correto, de tudo para todos.

Alvaro disse...

Bom texto.

Postar um comentário

Deixe a sua opinião, sem ofensas, por favor.

  ©Caixa de Gibis - Todos os direitos reservados.

Sobe