17 de fev de 2012

A prova de que Alan Moore está errado! Ele escreveu o Spirit de Will Eisner!




Tem um monte de putinha do Alan Moore me enchendo o saco dizendo que estou errado em minhas colocações sobre Before Watchmen. Mas nenhum deles apresenta argumentos, só reclamação de fanboy. Pois bem, aqui esta!

Alan Moore disse que o que ele faz com os personagens da literatura não é o mesmo que querem fazer com os personagens dele, que quando ele pega os personagens de literatura ele não sacaneia com velhos autores.

Mas em 1998 ele participou do projeto acima, um remake de histórias de The Spirit, junto com vários outros autores, lançado pela Kitchen Sink Press.

Will Eisner, o criador do mítico personagem, ainda estava vivo, e de início não quis saber do projeto, mas depois de muitas conversações, cedeu e permitiu que grandes nomes dos quadrinhos da época refizessem as histórias do Spirit! Alan Moore trabalhou junto com Dave Gibbons, a primeira vez depois de Watchmen, em um remake da origem do Spirit. Ele também escreveu a história abaixo, com Daniel Torres.

Agora por que Moore não é tão inteligente quanto Eisner e aprova Before Watchmen? Ou seria apenas rabugice e vaidade?

"Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço" Este é o lema de Alan Moore.


"Last Night I Dreamed of Dr. Cobra..." por Alan Moore e Daniel Torres:












26 Comentários:

Ivo Kleber disse...

Talvez porque você esteja sendo imediatista... como todo idiota que leu Wattchmen e defende o filme de Zack Snyder...

Se apega ao imediatista e sequer faz esforço pra entender sobre o que realmente se está falando.

Alan Moore não esstá reclamando simplesmente por usarem seus personagens, como vocês ficam alarrmando com esse argumento ridículo de "Ai, ele também, fez isso, não pode reclamar"...

Ele está reclamando da INICIATIVA DE SE TRANSFORMAR ARTE EM COMÉRCIO!

A DC está fazendo isso, pegando uma HQ de inestimável valor artístico e reexplorando-a com o intuito de permanecer no topo do ranking de vendas da Diamond... explorando algo que é clássico e redefiniu as HQs modernas de heróis e fazendo um pastiche, subvertendo o seu conceito e levando-a para o mesmo lado das HQs derivadas de "grandes sagas que mudarão por completo os heróis como conhecemos", (não é assim que eles descrevem todas as sagas que lançam?).

Então, aprendam a interpretar discursos e conceitos, aprendam a contextualizar as coisas... o discurso de Alan Moore está imbuído de todo um conhecimento e crítica ao merrcantilismo das HQs, e justamente o que vem desabonando o valor artístico da mesma... Coisa que Alan Moore nunca fez, até mesmo suas histórias frente a material tido como descartável como Supremo, Spawn e Wildcats é de grande qualidade...

Ficar rebatendo as declarações dele com o reles argumento de "ele também escreveu persongens dos outros" é tão idiota quanto gostgar de HQs descartáveis e sem nenhum zelo e comprometimento com o leitor... Apoiando um produto consumista e banal e que tende a levar toda a produção cultural quadrinística (inclkusive a de qualidade) pro mesmo buraco.

Analise a situação como um todo, reflirta sobre isso e depois sim escreva a respeito, do contrrário sua opinião vai ficar parecendo só mais um "mimimi de Alan Moore" como você mesmoi dis (e entende).

Tavares disse...

Outro fanático que repete tudo que Alan Moore fala como se fosse seu aluno de ciÊncias sociais.

Amigo, o Spirit, assim como Watchmen, são produtos comerciais, não são arte. O Spirit era feito por uma equipe e Eisner colocou fim na série.

Quando se ofereceram pra fazer novas histórias ele não quis, mas ele sempre foi um cara inteligente e viu o potencial comercial disso. Tudo é comércio no ramo dos quadrinhos.


Alan Moore fez um contrato, ele assinou embaixo e foi pago por isso, ele não fez Watchmen de graça. Ele ganhou 3 milhões de dólares até com o filme.

Alan Moore nunca fez nada que não fosse comércio. A única coisa que ele fez que não era comercial foi seu fanzine Dodgen Logic, e sabe o que aconteceu? Ele teve que parar a publicação no número nove, pq tava perdendo dinheiro.

Alan Moore ajudou a escrever um RPG de Watchmen, ele estava disposto a escrever histórias com os Minutemen, mas desistiu quando viu que a DC não ia pagar o que ele queria. Pq ele queria mais dinheiro!!!

Tudo neste jogo é dinheiro.

Antes de vir aqui dar aulinha saiba com quem esta falando e não venha repetindo lições de "eu sei mais que vc" pq se eu escrevo algo aqui é embasado em informações.

E só pro seu governo, eu não assisti o filme de Zack Snyder até hoje, pq na época que saiu eu era igual vc, tinha o mesmo discurso ingênuo de fanático pelo Alan Moore e fiquei contra o filme, mas to pensando em assistir, mesmo que eu saiba que não vou gostar.

Alan Moore esta errado, pq ele fez com o personagem de Eisner o mesmo que querem fazer com os personagens dele. Se ele não deixa é pq se acha artista demais. Graças a fanáticos como vc;

molho disse...

""início não quis saber do projeto, mas depois de muitas conversações, cedeu e permitiu""
O desespero pra defender o indefensível é tanto que nem presta a atenção no que escreve, vai lá dar a bundinha pra warner vai.

Vagner Francisco disse...

Amigo...
a diferença ali é que Spirit é [era] de Eisner.

Ele só cedia os direitos de publicação, SE quisesse, já que era o dono do personagem. SE não quisesse, NINGUÉM poderia publicá-lo.

Já Watchmen é propriedade da DC Comics.

Moore não pode fazer nada. Nem mesmo voltar a escrever, se quiser.

Entenda primeiro o que cada peça representa no tabuleiro.

Senão daqui a pouco você desenterra aquela história que o Moore escreveu da Vampirela, outra do Drácula, e por aí vai.

Marcel disse...

Tavares chamando o Ivo Kleber (o Hell do MDM) de estudante de ciências sociais?!

Alguem vai ser explodido em BH...hehehehe.

Só para complementar a discussão, o Hell e o pessoal do MDM discutiram sobre Before Watchmen em um podcast:

http://www.interney.net/blogs/melhoresdomundo/2012/02/12/podcast_mdm_157_before_watchmen_e_o/

Daniel Araujo disse...

Nossa, mas uma coisa não tem nada a ver com a outra.
O Will Eisner era dono do Spirit, e essa homenagem teve aprovação do homem para acontecer.

Não é o caso do Watchmen, e é por isso que o Alan Moore fica puto. A editora sacaneou ele para não liberar os direitos, bolou e tocou esse projeto claramente caça-níqueis passando por cima do que o criador da obra original queria e faz milhões de U$ com licenciamento, cinema, etc.

Não sei se o Before Watchmen vai ser bom, estou mega curioso para ler, e não é porque é caça-níquel que não pode ser bom. A bronca do Alan Moore é com o modo como as editoras grandes tratam desse assunto da propriedade intelectual, o que leva em algumas situações a deixar o criador do personagem numa posição ilegal, como rolou recentemente com o Motoqueiro Fantasma. E nisso o véio barbudo tem toda razão.

Synthzoid disse...

"o Spirit, assim como Watchmen, são produtos comerciais, não são arte."

Cara, e arte é apenas aquilo dotado de erudição? arte é uma forma de entretenimento e narrativa.

Tudo é comércio nas HQs?

Sim, mas isso jamais será desculpa para desmerecer o valor icônico, argumentativo e artístico das mesmas.

A questão é, mesmo a DC e os fãs conhecendo o mercado de HQs, uma manobra dessas era realmente necessária?

Realizar "marketing" não é apenas chutar cachorro morto e mamar todas as vacas leiteiras possíveis, mas sim ponderar sobre sobre qual curso de ação é correto tomar.

Este tipo de perspectiva invasiva e destrutiva sobre mercado e marketing é pra lá de retrograda e inconsistente com o mercado de hoje em dia.

O que Alan Moore defende são os direitos dos artistas e criativos envolvido no meio, principalmente o quesito autoral.

talvez você nem concorde com ele, mas isso não te torna imediatamente comparsa das decisões empresariais da DC Comics.

Mister X disse...

Aham, Spirit foi uma Graphic Novel né, completa por si só, sem necessidade de continuação, como "Um Contrato com Deus", "No Coração da Tempestade", "Um Sinal do Espaço" e outras. Realmente, Alan Moore fez uma coisa feia continuando essa obra fechada, que homem mau...

Vane disse...

Os direitos de Watchmen iriam para Alan Moore e Dave Gibbons assim a DC parasse de lançar as tiragens. Numa manobra sacana a editora continuou, até os dias de hoje, imprimindo a graphic novel, mesmo que em gotas, para continuar desfrutando dos direitos de algo que há muito tempo não deveria ser seu.

Tem como não ficar bravo?

Daniel Werneck disse...

Seu texto grosseiro e equivocado compara duas obras e situações diferentes, quase opostas.

Só faria sentido comparar as duas se a DC tivesse ficado com todos os direitos do Spirit e feito esse livro sem consultar seu criador.

No entanto, você mesmo disse no post que "depois de muitas conversações, [Eisner] cedeu e permitiu".

A pergunta que fica é: se você o acha tão idiota assim, por que perde seu tempo falando sobre ele?

tysiu disse...

Vc está errado. Estude direito antes de falar tanta bobagem. Confira os fatos, cheque as fontes.

Tavares disse...

Daniel Werneck

E vc é um desinformado, a DC tentou negociar com Moore, ofereceu-lhe todos os direitos de Watchmen se ele escrevesse uma continuação, fora uma fortuna em dinheiro, mas ele é um convencido, exatamente pq tem uma legião de adolescentes alienados fanáticos, e recusou.

Informe-se mais antes de vir aqui falar merda.

Você é mais um desses fanáticos que ficam cultuando Alan Moore,se ele chamasse todos vocês de macacos vocês agradeceriam.

Daniel Araujo disse...

Seu Tavares, na sua resposta maleducada pro Daniel Werneck está contido o ponto onde pode-se demonstrar que teu post é grosseiro e equivocado.

"A DC tentou negociar com Moore [mimimi,mimimi] recusou"

Aí está a enorme diferença: se o Will Eisner tivesse recusado, não haveria como o projeto ir adiante, pois ele era o dono do Spirit. O Alan Moore recusou, mas não fez a menor diferença e o projeto foi em frente mesmo assim. Pois a proposta da DC era só prá fazer média, eles não precisavam da autorização dos autores porque passaram 25 anos engambelando esses mesmos autores para não ceder a eles os direitos que deveriam ter sido deles desde o começo. Então por quê o Alan Moore deveria autorizar qualquer coisa, já que não faz a menor diferença?

Teu post é MUITO equivocado e demonstra uma falta enorme de conhecimento dos mecanismos de propriedade intelectual das editoras americanas de superherói. Talvez para demonstrar teu total desapreço pelos direitos dos autores, você tenha resolvido colocar as páginas do Spirit sem autorização, violando os direitos da Kitchen Sink, do Alan Moore, do Daniel Torres e do Will Eisner.

Não sei se você tá acompanhando no tuíter, mas teu post tá repercutindo com gente como Sidney Gusman, Danilo Beyruth, o pessoal da FIQ-BH, etc, em termos como "Texto equivocado!","Pior post sobre HQ do ano", etc.

Por tudo isso,

PARABENS!

Tavares disse...

Daniel Araùjo

Simplesmente, qual foi o argumento de Moore?

Integridade da obra. Não foi direito autoral. Foi o papo moralista de um cara que fica se fazendo de vítima de uma corporação que colocou o pão na mesa dele.

Watchmen pertence em termos a DC, Alan Moore não é nenhum analfabeto, ele assinou um contrato. E se assinou, deve arcar com as consequencias.

Sydney Gusmão, quem é ele?

Um cara cujo site copia matérias do Comics Alliance, Bleeding Cool e outros sites e não cita a fonte?

Que ele tem de autoridade pra falar?

To pouco me lixando pro que ele pensa.

rockbarcellos disse...

"Não sei se você tá acompanhando no tuíter, mas teu post tá repercutindo com gente como Sidney Gusman, Danilo Beyruth, o pessoal da FIQ-BH, etc, em termos como "Texto equivocado!","Pior post sobre HQ do ano", etc.

Por tudo isso,

PARABENS!"


nossa mas q belo argumento hein ?

só falta chamar de bobo e feio! quanta maturidade e "conhecimento"

Daniel Araujo disse...

O argumento é "integridade da obra"?

Gente…

Me sinto naquela tira em que o Overman grita: "Tarde demais para a realidade!"

Abs.

Tavares disse...

Daniel, vc esta desinformado, leu esse post?

http://www.emquadrinho.com/2012/02/alan-moore-detona-before-watchmen-isso.html

Aqui Moore fala:

"Parece um pouco desesperado ir atrás de um gibi conhecido pela sua integridade artística" "É uma série finita. Watchmen pretendia realmente fornecer uma alternativa para as histórias de super-herói como uma novela sem fim. Transformar isso em apenas mais um outro gibi de super-herói que segue eternamente comprova exatamente tudo o que eu penso sobre a indústria de quadrinhos. Tudo são franquias, lojas de quadrinhos hoje em dia quase não vendem quadrinhos, são só spin-offs e brinquedos."

Sobre a possibilidade de processar a DC:

"Eu pensei nisso por um tempo - eu poderia, talvez, processar, embora eu suspeite que a DC se sairia muito melhor com isso", acrescenta Moore. "Eles têm toda uma bateria de advogados que poderiam continuar a lutar neste caso por décadas. E isso tudo não é porque eu esteja atrás de dinheiro. Sempre foi por causa da dignidade e integridade da obra. Eu só quero que eles não façam isso. Não há nenhum motivo pra desperdiçar recursos durante décadas, quando efetivamente, se houvesse um processo, eu estaria proibido de falar sobre ele, e isso é o que mais preocupa a DC."



O lance de Moore é a moralidade e não a legalidade do trabalho. Que moralidade ele tem se ele interferiu na obra de Eisner????

Não importa se Eisner permitiu. Spirit pertencia a ele e ele deu a autorização que era necessária legalmente. Porém, moralmente, o que Moore fez com Spirit é o mesmo me querem fazer com Watchmen.

Ninguem esta desrespeitando Watchmen, todos os autores já deixaram claro.

Ele foi chamado pra negociação porque Watchmen não pertence a ele legalmente, mas recusou, então a permissão não é mais necessária.

Legalmente são processos distintos, mas moralmente, e essa é a neura de MOORE, ele não tem razão.

Daniel Araujo disse...

Leia HOMENS DO AMANHÃ, do Gerard Jones, e ALAN MOORE STORYTELLER, ligue as infos dos livros aos trechos de entrevista que você citou e depois falamos se a "neura" do Alan Moore é "integridade da obra".

Aliás, leia de novo tua resposta e preste atenção na absurda quantidade de contradições entre tudo que você falou aqui.

Abs.

Tavares disse...

Toda vez que o sujeito não tem mais argumentos ele vem com esse papo de "vc caiu em contradição", sem nunca apontar as contradições.

E "vc tem que ler isso e aquilo"', sem comentar nada sobre o livro, sem saber se a pessoa ja leu.

Fanatismo faz isso.

rockbarcellos disse...

não, o "argumento" a q me referi foi o q eu coloquei entre aspas

vc colocou aquilo como se tivesse qualquer tipo de relevância pra discussão, como se fosse um argumento

só q o unico argumento q se apreende daqela afirmação idiota é algo na linha :" olha como toda essa gente abalizada e respeitada ta falando mal de ti e te acha besta, logo vc deve estar errado e é um bobalhão"

o fato de vc achar q isso é algum tipo de argumento válido pesa e muito contra vc, pega mal, te faz parecer infantil

é só isso q estou avisando

rockbarcellos disse...

e vc não está entendendo uma coisa muito básica aqui

a discussão não é a respeito da indústria

ela é escrota? sim é, são uns filhos da puta mercenários sem moral

NO ENTANTO, até hj qual é uma das principais fontes de renda do Alan Moore? Ser Alan Moore.

e por quais trabalhos principalmente ele foi lançado ao estrelato gerando toda uma mistificação de sua persona? Aqueles feitos na DC

não interessa o quão escrota a DC seja, ninguém discorda disso,moralmente falando Alan Moore deve e muito pra DC, mas a questão principal aqui é q Moore é orgulhoso demais pra reconhecer isso.

ele vai passar o resto da vida achando q fez tudo sozinho, como se não tivesse sido os, hoje odiados por ele, super heróis a garantir seu ganha pão até hj!

o problema aqui é excesso de orgulho de Moore, q se acha maior q tudo e todos

e existe nome pra isso:

babaquice

Daniel Araujo disse...

Seu Tavares, eu supus que você nao leu os livros que citei porque qualquer cidadão que em sã consciência tenha lido Homens do Amanha JAMAIS vai afirmar que uma pessoa esteja "moralmente errada" em relação à DC. É impossível, a DC cresceu sendo moralmente errada com seus autores, é o que ela faz, é o que a alimenta. Você nao viu o Mazzuchelli pedindo pros leitores boicotarem a edição mais recente do Year One?

Você sabe o que a DC prometia no contrato de Watchmen? Você sabe como ela passou 20 anos enrolando os dois autores para nao lhes ceder os direitos que eles deviam ter recebido um ano depois da serie ter sido lançada?

Você fala de fanatismo. Vejamos: você escreve um texto contraditorio e pedante comparando alhos com bugalhos e chegando a uma conclusão completamente estapafurdia. Depois reclama que dizem q teu texto é contraditório mas nao apontam as contradições. Mas, jesusmariajusé, e todos esses comentários apontando as contradições? Você ta fingindo que nao existem? E depois a gente que é fanático.

Agora: se você disser que LEU Homens do Amanha e mesmo assim sustenta as bobagens que falou no post, aí vou entender tudo - tua capacidade de leitura e interpretação é tão baixa que você nao consegue ler e interpretar nem teus próprios textos.

rockbarcellos disse...

bom, pela tua resposta, deduzo q vc viva cercado de pessoas totalmente idôneas sem qualquer pecado q nunca erram, assim como vc...

será? é assim q vc trata as pessoas no seu dia a dia?

quando vc conhece uma pessoa vc procura ler a ficha dela sobre o q ela fez ou deixou de fazer e baseado nisso toma uma decisão definitiva ?

vc não procura interagir com a pessoa pra tentar conhecer ela de verdade? de repente ela tenha algo de bom em si e possa até te fazer algum bem, q vc nem imaginava q poderia mesmo com todos seus defeitos

pois essa é a verdadeira moralidade, todo mundo é humano e erra, todo mundo é capaz do bem e do mal, alan moore está sendo estupido ao negar o bem q seu trabalho na DC fez e faz pra ele até hj e falsamente tomando as dores de outros autores

ele está sim em dívida moral com a DC

enquanto q a DC está em dívida moral com muito mais gente, mas NÃO com Alan Moore

Tavares disse...

@Danbiel Araújo

Mazzucchelli esta reclamando de uma edição mal feita, não é nada contratual. Essas edições definitivas exigem digitalização de imagens e tecnicamente esse, por incrivel que pareça, ainda é um processo que pode ter falhas. A edição brasileira de Ano Um, lançada recentemente, é muito boa, mas é de outra matriz. É uma quiestão técnica, e Mazzucchelli é um especialista nisso, como vimos por Asterios Polyp.

Não tem nada a ver com " a imoralidade das corporações" uhauhahahu

Vc é o tipo de cara que fica pegando qualquer informação pra criticar as corporações, tipo socialista paranoico que odeia empresas uhauhauahua eu comnheço seu tipo.

e até agora nenhum apontou contradições reais no meu texto. A única contradição aqui esta em quem não quer reconhecer a verdade que Alan Moore esta errado!

Daniel Araujo disse...

Seu Tavares, teu fanatismo anti Moore tem uma capacidade incrível de distorcer a realidade. Quem falou de " grandes corporações"? Eu falei só da DC, tem mais alguma envolvida nessa história? E ela despreza os direitos de seus artistas desde antes de ser uma grande corporação, então nao sei o que isso tem a ver com o assunto.

Outra bela viagem é a maneira como você equipara duas situações quase opostas (Eisner/Moore) e enxerga diferença em duas que sao a mesma coisa (Mazzuchelli/Moore). Mazzuchelli, assim como Moore, nao tem controle sobre o que a DC faz com as obras deles. Se tivesse, nao teria autorizado a nova edição. Afinal, se os caras já lançaram edições com impressão digna, o artista deveria ter todo o direito de recusar uma edição mau feita. Mas é claro que com a DC o artista, CONTRARUALMENTE, nao tem esse direito básico. Nao tem nada a ver com "questão técnica", é puramente contratual. Mas teu fanatismo nao te permite enxergar isso.

Por que tanta ânsia pra mostrar que a DC ta certa? Você é putinha da DC?

rockbarcellos disse...

de qualquer maneira a responsabilidade é dos artistas q se submeteram a assinar o contrato ora bolas!

ninguém obrigou eles a aceitarem, eles o fizeram por sua própria conta e risco!

não podem reclamar!

se supostamente odiavam tanto as condições pq aceitaram se são tããão idealistas?

Postar um comentário

Deixe a sua opinião, sem ofensas, por favor.

  ©Caixa de Gibis - Todos os direitos reservados.

Sobe