19 de jun de 2012

Alan Moore - O hipócrita e seus fãs imbecis


Tem aquele velho ditado popular que diz "faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço". Este é o maior resumo de pelo menos duas falhas de caráter indiscritivelmente desprezíveis: o cinismo e a hipocrisia. Alan Moore é mestre nisso. Sua nova prova de canalhice veio com o último volume da Liga Extraordinária. O gibi traz uma brincadeira de mau gosto, no mínimo. Leia a notícia do Omelete:

"Acaba de sair nos Estados Unidos e no Reino Unido 2009, o capítulo final da trilogia A Liga Extraordinária: Século. E Alan Moore, querendo ou não, pode ter conseguido uma controvérsia grande o bastante para abafar a amaldiçoada Before Watchmen.

A trama de Século envolve, desde o primeiro capítulo, a Liga Extraordinária tentando impedir o nascimento do Anticristo. O clímax do terceiro volume, segundo as primeiras resenhas - como a do jornal The Independent -, é a batalha contra o Anticristo, que é ninguém menos que Harry Potter.

Mas claro que o garoto mago não é nomeado. Todos os volumes de Liga Extraordinária fazem referência à cultura popular da época em que a história se passa. No caso dos volumes recentes, em que algumas referências ainda são protegidas por direitos autorais, Moore e o desenhista Kevin O'Neill só deixam pistas.

No caso de 2009, há um personagem chamado Thomas Riddle - nome de Voldemort na série de livros de J.K. Rowling -, que entra numa plataforma de trem que fica entre duas outras plataformas na estação King's Cross para chegar a uma escola para crianças e vira o tutor do Anticristo. Para completar a cena, o garoto-Anticristo também solta raios de uma varinha diferente - o próprio pênis.

O Bleeding Cool acompanha a controvérsia na Inglaterra, onde o Independent já utilizou a manchete "Revelação: Harry Potter é o Anticristo!" e o jornal Metro foi de "Harry Potter vira o Diabo em nova graphic novel de Alan Moore"."


Ah, quer dizer que Alan Moore decidiu transformar Harry Potter, personagem de propriedade de J. K. Rowling, em um anticristo que solta raios pelo pênis? E por que o Sr Alan Moore reclamou tanto quando a DC Comics decidiu fazer respeitosos prelúdios de Watchmen? Por que ele exige respeito pelo seu trabalho criativo mas faz questão de utilizar o que é dos outros da maneira que deseja, sem se preocupar sequer em manter o mínimo de respeito?

Quando questionei isso no Facebook, uma multidão de fãs alienados de Alan Moore tentou justificar dizendo que ele não usa o personagem, só faz referência, ou mesmo que ele faz uso de "simbologia" e todo um blá blá blá paulocoelhiano de bruxinhas wiccas de escola secundária e ocultistas de internet.

O que eu acho mesmo é que essas pessoas deveriam ser um pouco críticas em relação a Alan Moore. Não existe nada de novo nessa ideia de Harry Potter anticristo, nem de genial. Existe, na verdade, um monte de imbecis que pensam dessa maneira. Alan Moore não está trazendo nada de novo ou genial, está apenas judiando do trabalho alheio.

A ideia de fazer alusão a Harry Potter como anticristo é tão ofensiva quanto previsível e bastante estúpida. Há milhares de sites de malucos da Nova Ordem Mundial, evangélicos paranoicos e pregadores do apocalipse que falam disso. Veja Jesus Voltará, Verdade Explícita, Rainha Maria , existem milhares em todas as línguas! Na vida real, uma penca de malucos chegou a fazer um protesto contra os filmes.

Essas pessoas podem interpretar Harry Potter do jeito que acharem melhor, Alan Moore inclusive. Ele também pode se utilizar de ideias ridículas em seus quadrinhos, nada contra. Se Harry Potter é ou não o Anticristo não importa. Eu tenho a minha opinião pessoal sobre o assunto, mas prefiro não falar. Não vamos discutir isso aqui. A questão que levanto é o respeito ás criações alheias. Alan Moore posa de vitíma quando o assunto é a sua obra, mas não tem escrúpulos em sacanear o trabalho dos outros. Ele ensaiou uma desculpa quando disse que só fazia referência a personagens criados por autores que já estão falecidos. J. K. Rowling, obviamente, não está morta. A desculpa não procede.

Porém, o que me assusta mesmo são os fãs radicais de Alan Moore, aqueles que defendem tudo que ele faz como se o cara fosse um Deus infalível e inquestionável. Essas pessoas parecem ter perdido qualquer senso crítico e inteligência. Estão se transformando em verdadeiros imbecis que acham possuir alguma verdade superior, sempre prontos a cuspir essa verdade na cara dos outros.

Alan Moore mostra a cada dia que exercita bravamente a hipocrisia e o cinismo, dois vícios desprezíveis. Seus fãs radicais, que o apoiam sempre, demonstram a sua própria imbecilidade. Com essa laia de meninos arrogantes que se acham donos do poder e da verdade, o mundo não precisa de um Harry Potter anticristo, o mundo já está próximo do fim.


...

11 Comentários:

Manassés Filho disse...

Entendo seus comentários, porém são duas situações complemente diferentes, pois a meu ver Alan Moore seja numa alusão ou citação direta ao Harry Potter no novo volume da Liga, fez uma brincadeira, pelo menos ao meu ver. A minissérie nunca teve a pretensão de ser algo cerebral, mas sim uma aventura subversiva e de boa qualidade(basta ver/ler o que ele fez aos membros da Liga Extraordinária). A problemática que envolve Watchmen é que o Before Wacthmen modifica algo e o inclui na mitologia da uma série que já deixa claro o perfil psicológidp de todos os personagens. Pra mim contar o "antes" da obra de Alan Moore e Dave Gibbons é algo muito comum em um momento em que qualquer produção artística tem que ser bem explicada e mastigada pra que muitos que não querem colocar seus neurônios para se mexerem venham compreender a história principal.

Vagner Francisco disse...

Acho que você está tentando provar sua opinião a respeito de Alan Moore, Tavares.
Só cuidado para não querer provar que SUA opinião seja a verdade absoluta. Porque não é.
Assim como também a mim não o é e nem a do Moore.

Chamar fãs de alguém de "imbecil" também não ajuda.

Abraço, amigo.

SALVALAIO disse...

Na boa, acho que uma coisa não tem nada a ver com outra. Nos "Before Watchmen" a dc está vendendo que aquilo faz parte de Watchmen e alan moore bate o pé dizendo que a obra é completa por si só, não necessita de preludios e continuações.

Liga Extraordinaria, SEMPRE, usou personagens da literatura, sempre os distorceu de forma imprevisível, com seu estilo sarcástico e irônico, vc pode gostar ou não mas isso é outro papo. A unica coisa que tá pegando é que Harry potter tem uma legião de fanáticos que acham desrespeitados... aliás ele não usa o nome do harry, mas claro que a alusão está ali, mas tudo tem seu contexto, o fato dele usar um personagem atual e popular, dentro da proposta da revista é interessante e é bacana. Caso os fanáticos de plantão fossem um pouquinho mais mente aberta, achariam legal o pequeno harry estar dividindo as paginas de uma hq que já citou personagens como Dorian, Alan Quarteman, Jekil Hide, Capitão Nemo e outros... ser vilão numa hq dessa é mais legal ainda... mas é claro, se tivessem mente abertas não seriam fanáticos certo?

Luan Fernando disse...

Você claramente é um babaquinha que fica de mimimi com as declarações do Moore, por que se sente inferiorizado quando ele fala mal dos fãs idiotas (grupo ao qual você se inclui, por isso se sente inferiorizado).
Aposto que você aplaudiu de pé aquela merda fedorenta que foi o Watchmen elegante do Zack Snider.

Eu aposto que se fizessem uma paródia de Watchmen o Moore não estaria nem aí... O problema de Before Watchmen é tocar na história principal e explanar sutilezas que foram importantes para consolidar a relevância da série com o passar dos anos...

É muito fácil tirar um fato do contexto pra descer a lenha em alguém, como você vive faendo nos posts relacionados aos heróis gays ou ao Watchmen... Toma vergonha na cara, rapaz.

Tavares disse...

Toma vergonha na cara você que vem aqui falar merda. Nunca assisti esse filme, não gosto do estilo de Snyder.

Você é leitor do MDM, um blog que lambe a bunda de Alan Moore.

Fã idiota é o cara que fica repetindo tudo que aquele hipócrita arrogante e piolhento fala. Não tem o mínimo de senso crítico.

PC disse...

Existe uma diferença entre a DC criar mais Watchmen e Alan Moore usar uma imitação de Harry Potter.

A DC é dona de Watchmen. A historia original é boa. Alguns podem dizer (e eu concordo) que é muito boa ou excelente. Só que ao lançar Before Watchmen, a DC pode usar este evento como base para novas histórias, independentemente da qualidade da mesma ou de histórias subsequentes. Só que a DC não é uma pessoa, é uma entidade corporativa. E Watchmen nunca vai ter 500 histórias publicadas de modo consecutivo durante 20 anos. Qualquer nova história corre o risco de diminuir consideravelmente a média geral das obras associadas ao nome.

Alan Moore não é dono de Harry Potter. Nada do que ele possa fazer vai alterar a obra de JK Rowling. Pode ser pouco engenhoso, pode ser uma tentativa barata de ser chocante, mas não é importante para a obra original. Ninguém vai ler LoEG e pensar "oh meu Deus! O Harry Potter é a encarnação de Satanás porque lança relâmpagos do pénis". É obviamente uma paródia. Podem achar que é inteligente ou que é estúpido (sem ler, à primeira vista, parece estúpido, ou como eu disse acima, pouco engenhoso e uma tentativa barata de ser chocante), mas não podem achar que é o verdadeiro Harry Potter. É apenas a opinião de Moore sobre o personagem. Podem concordar com ele. Ou então não.

Unknown disse...

acho que temos que ser mais moderados nos comentários... o que se aplica também ao senhor moore e ao Tavares. Considerar as outras pessoas imbecis prova que estamos num nível inferior a quem julgamos. Estamos falando de obras que nos tocam, de alguma forma, e em fases diferentes de nossas vidas ( faixa etária, nível de cultura ou ignorância, em alguns casos...); alguém aqui começou a ler e já encarou Machado de Assis? Que antes de gostar de desenhos, assistia documentários sobre holocausto no History Channel?

Momokinho disse...

Seguindo a tua lógica, então as charges e demais sátiras que fazem de personagens da cultura pop são ofensas ? E a liberdade de expressão artística ? O Harry Potter é alguma divindade a qual não se possa satirizar ? E mesmo se fosse,e daí? Tem que ver isso aí moço,vamos explanar as idéias, porém, tão distante quanto possível das malignas tendenciosidades. Sinceramente, adoro o Harry Potter e acho o Moore um ótimo escritor, achei bem engraçada a referência ao Harry. Quem fizer disso uma "cruzada das crianças" não atende ao bom senso.

Márcio Macario disse...

Eu entendi o que o Tavares quis dizer, concordo que ele foi um pouco "apaixonado" em seus comentarios, porém também quem é fã de Alan Moore deve ter um pouco de senso crítico senão cairão na "fé cega", na minha opnião acho Alan Moore um ótimo escritor desde que eu li "Monstro do Pantano" ele revitalizou o personagem à um nível de superstar e que ninguém mais conseguiu fazer isso, não li a Liga Extraordinária uma pena, ainda vou procurar, mas devemos sempre ter nossos pés firmes e não digo acreditar, mas sempre ficar de olho.

Marcelo disse...

Watchmen é apenas uma porcaria sobre matança em massa. Um lixo comunista de como hipócritas resolvem se livrar de quem atrapalha a revolução pela "paz", mesmo que essa "paz" seja calcada numa mentira e tenha que exterminar milhões de pessoas. É praticamente um manifesto de amor a matança promovida pelos comunas em busca de "paz" e "prosperidade", mas lembrem-se quando um comunista diz paz significa morte e terror e quando fala em prosperidade significa pobreza e animalidade.

Marcelo disse...

Pra ser jornalista, quaisquer que seja o seu meio... deve-se ignorar o gosto pessoal. O senhor Tavares parece não usar este artifício. Lí três artigos dele, um sobre Frank Miller, dois sobre Alan Moore. Admiração exagerada pelo Frank, desprezo mal resolvido pelo Moore... tudo bem, sou fã tb mas num blog como o seu... faça não! Pega mal

Postar um comentário

Deixe a sua opinião, sem ofensas, por favor.

  ©Caixa de Gibis - Todos os direitos reservados.

Sobe