4 de mar de 2013

O segredo por trás de V de Vingança






As vezes a ficção rompe as barreiras tênues que a separam da vida real e determinadas coisas criadas em livros, gibis ou filmes passam a fazer parte do nosso dia a dia. Foi assim com o símbolo V, mostrado na HQ V de Vingança, obra do infame escritor britânico Alan Moore. Hoje em todos os lugares do mundo podemos ver jovens se utilizando daquela máscara e do símbolo V como um emblema de reivindicações e rebeldia.

Mas quando e como a letra V ganhou importância no imaginário britânico e mundial? Foi mesmo com a HQ V de vingança??

Não, na verdade o V foi um símbolo utilizado em uma companha contra a ocupação nazista da França e Bélgica, conhecido durante a Segunda Guerra Mundial como a "Campanha do V da Vitória". O objetivo era mostrar ao inimigo que ele estava cercado pela Resistência.

O símbolo foi adotado por Winston Churchill para mostrar que a Inglaterra resistia aos nazistas e entrou na cultura popular como símbolo de paz. (imagem acima)


No entanto, não é nada disso. O simbolo na verdade foi criado por Aleister Crowley e introduzido na campanha pelos seus contatos no serviço secreto britânico, e é uma invocação de um Deus da Destruição

Crowley, um mago britânico que tinha a fama se ser o homem mais perverso do mundo, introduziu este mudra mágico no Ritual Menor do Hexagrama, em The Equinox I, no. 3, em 1910. 


Neste ritual, a swastika representa o luto de Isis pela morte de Osíris, e o V representa Typhon, o destruidor, que matou Osirís. Ele também é associado a Ra-Hoor-Khuit , o criador e mestre do Novo Aeon, a era de paganismo profetizada pela Besta 666, Aleister Crowley. 

V de vingança não é sobre anarquia, é sobre o Novo Aeon, sobre "a terra do faça o que quiser". Citada nominalmente pelo terrorista V. Só não percebe quem não conhece o simbolismo. A frase "Vi veri veniversum vivus vici", também citada pelo personagem era na verdade um motto mágico de Crowley.






Cada vez que evocamos a máscara e o símbolo de V, evocamos a destruição da sociedade atual, e não é isso o que todos os revolucionários, de todos os tempos, realmente desejam?




4 Comentários:

Kleiton Gonçalves disse...

"Infame escritor"... Mas vc gosta dele, não gosta?

Boa postagem.

David disse...

Mauro adora o Moore, hehe.

Viviane Sampaio disse...

Caramba, eu sou louca por V de vingança. Sabia que tinha algo por trás, porque sou muito ligadas nessas coisas. Mas não imaginava que o Aleister Crowley fosse responsável. Que raiva, acabaram com um dos meus filmes favoritos :/

Rogério disse...

é por isso que eu sou a favor da Arte pela Arte. O caso Moore e do Crowley, é puro marketing pessoal já que esse negócio de magia é pura invencionice criativa do ser humano diante do absurdo da condição humana. Agora, o leitor tem que ser inteligente e saber discernir se o autor quis inculcar alguma ideologia ou então ler a obra apenas sob o ponto de vista da arte pela arte.Desculpe se exagerei nas críticas que fiz aos professores de História com ideologias socialistas, comunistas e ideologias. Mas é que eles merecem ouvir umas! Este site é muito bom, favoritei aqui.

Postar um comentário

Deixe a sua opinião, sem ofensas, por favor.

  ©Caixa de Gibis - Todos os direitos reservados.

Sobe